quinta-feira, 19 de julho de 2007

Adoração





“Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. ” (Jo 4.24)




Segundo A. P. Gibbs em seu livro “Adoração”, “A palavra adoração assim como outras palavras admiráveis como ‘graça’ e ‘amor’ podem ser mais facilmente experimentadas do que descritas.”
Para Rick Warren, adorar(agradar) a Deus, foi o primeiro propósito para o qual Deus nos criou. Ele escreveu: “O primeiro propósito da nossa vida é adorar(agradar) a Deus[...]. Deus não precisava criar eu e você, mas escolheu fazer-nos para a satisfação dEle. Nós existimos(fomos criados e planejados), primeiramente, para dar prazer à Deus, ou seja, trazer alegria ao Seu coração”.

A partir disto, podemos tentar compreender o que seja adoração: a) Adoração é a ocupação do coração, não com suas necessidades nem sequer com suas bênçãos, mas com Deus mesmo; b) Adoração é o amor com que correspondemos ao amor de Deus; c) Adoração é o ato de dobrar nossa vontade para fazermos a vontade de Deus; d) Adoração é reconhecer, honrar e reverenciar a presença de Deus; e) Adoração é vida intensa com Deus.

Quando se analisa a adoração nas Escrituras Sagradas, podemos estabelecer algumas conclusões: a) Deus deseja ser adorado; b) Somente Deus deve ser adorado; c) a verdadeira adoração é uma marca da fé salvadora, e d) nem toda a adoração agrada a Deus.

O Rev. Herminsten Costa afirma que “adorar a Deus corretamente exige tempo e humildade.” Por que? Porque Deus procura verdadeiros adoradores, adoradores que o adorem em espírito e em verdade.

Adorar em espírito, refere-se a mente, a alma, ao coração. Deus procura adoradores que o adorem na sinceridade da alma e do coração, com o desejo único e puro de glorificar e exaltar a Deus. Na verdade, Deus procura aqueles que querem adorá-lo na simplicidade e muitas vezes na quietude da alma. Por isso, a verdadeira adoração é aquela onde o coração é oferecido a Deus e onde não se depende de formas externas para conseguir a aceitação divina.

Adorar em verdade, é a adoração sem hipocrisia, na sinceridade do coração e alma com um coração simples, singelo e honesto, reconhecendo que Deus olha para a coerência da vida, de viver santo, sincero e puro diante dele.

Quando não compreendemos que Deus deve ser adorado em espírito e em verdade, a nossa adoração se torna distorcida, e quando a nossa adoração perde o foco que é Deus e se concentra em outras coisas, o que mais perdemos e própria presença de Deus, e com ela, perde-se a plenitude da alegria. Como disse Paul Basden, “a adoração que é digna de seu nome deve ser teocêntrica”, ou segundo Manson “no coração da adoração cristã está o próprio Deus”.

O Breve catecismo de Westminster diz que o fim principal do homem é amar a Deus e gozá-lo para sempre. Como Richard Baxter disse: “Se é Deus que você está buscando em sua adoração, você não ficará satisfeito sem Deus”. Adore a Deus! Ele é digno de receber a nossa adoração.


Rev. Luiz Carlos Corrêa
Pastor da Igreja Presbiteriana de Cabo Frio

Um comentário:

Anônimo disse...

i love your style of writing, i have been reading it a lot, check out my blog www.solar-world.com